História do CPDA


 

O Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro é um programa de ensino, pesquisa, extensão e intercâmbio interdisciplinar no âmbito das Ciências Sociais, e voltado para o conhecimento sobre o mundo rural e temas afins. Credenciado pelo Parecer 536/1986 do Conselho Federal de Educação e recredenciado pelo Parecer 190/1994, o curso é recomendado pela Capes em níveis de Mestrado e Doutorado e avaliado pelo Comitê de Sociologia e Ciências Sociais. Obteve conceito 5 (cinco), numa escala de 3 (três) a 7 (sete), na última avaliação quadrienal (2013/2016), o que o qualifica como programa de excelência nacional. Participa dos programas de bolsas de estudo da Capes (Demanda Social e PEC/PG), do CNPq e da Faperj.

Ao longo de sua trajetória, o CPDA/UFRRJ vem recebendo alunos de diversificada formação acadêmica (Ciências Sociais, Economia, História, Geografia, Economia e Agronomia, entre outras) e originários de todas as regiões brasileiras, de diversos países latino-americanos e de países africanos, em especial os de língua portuguesa. Em 2016, implantou um Sistema de Cotas para negros e indígenas.

O CPDA consolidou-se como centro de excelência de Ciências Sociais, com campo temático voltado aos processos sociais relacionados à agricultura, a questões agrárias, ao mundo rural e à conformação de sistemas agroalimentares, analisados em sua complexidade e multidimensionalidade. Estudos sobre políticas públicas, movimentos sociais, produção e consumo alimentar, território e cultura, campesinato, agronegócio, questões ambientais e indígenas tornaram-se alguns dos temas que fizeram do CPDA uma referência nacional e latino-americana. Esses temas refletem-se nas atividades dos Grupos e Núcleos de Pesquisa liderados por seus docentes.

O CPDA foi criado em 1976 como Centro de Pós-graduação em Desenvolvimento e Agricultura, vinculado à Escola Interamericana de Administração Pública da Fundação Getúlio Vargas (EIAP/FGV). O curso de Mestrado iniciou-se em 1977, funcionando no Solar da Imperatriz, Horto Florestal, na cidade do Rio de Janeiro/RJ. Em 1982, transferiu-se para a UFRRJ, com professores, alunos e funcionários, passando a fazer parte do Departamento de Ciências Humanas, Letras e Artes e, posteriormente, ao Departamento de Letras e Ciências Sociais. Em 1983,mudou-se de sua sede originalno Horto Florestal para alojar-se no prédio que hoje pertence ao Colégio Técnico da UFRRJ, nele permanecendo até o final da década, quando passou a ocupar algumas salas do prédio anexo do Instituto de Ciências Humanas e Sociais (ICHS/UFRRJ).

No início dos anos 1990, com a extinção do Instituto do Açúcar e do Álcool, e graças ao apoio da FAO/ONU, os professores do CPDA conseguiram que fossem cedidos à UFRRJ quatro andares do edifício até então ocupado por este Instituto, na Avenida Presidente Vargas, 417, no centro do Rio de Janeiro/RJ. Com isso, suas atividades acadêmicas e administrativas passaram a funcionar neste endereço, embora os professores continuassem ministrando aulas na graduação (cursos de Agronomia, Veterinária, Zootecnia e Engenharia Florestal, entre outros) e participando de reuniões no campus de Seropédica da UFRRJ.

Nesse momento, o curso era estruturado em três áreas de concentração: Desenvolvimento e Agricultura, Sociedade e Agricultura e Planejamento e Políticas de Desenvolvimento Agrícola e Rural para América Latina e Caribe, esta última conhecida como Vitório Marrama, por ser produto de um convênio entre o CPDA/UFRRJ, a FAO e a Universidade La Sapienza de Roma/Itália.

Em 1995, foi criado o Doutorado e, após uma redefinição do campo temático e do nome do curso, este passou a se chamar Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade. Nessa mesma época, foi instituído o Departamento de Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (DDAS), ao qual passou a se vincular a totalidade dos professores do CPDA. Nas décadas de 1980 e 1990, houve também um grande esforço de titulação do corpo docente, uma vez que, como era comum na época, nem todos os professores de Pós-Graduação tinham título de Doutor.

A criação do Doutorado e a constante necessidade de atualização das abordagens teóricas e metodológicas levaram a mudanças importantes na estrutura curricular do CPDA. Em 2004, com base nas sugestões de docentes e discentes, por meio de reuniões e atividades avaliativas que se consolidaram por meio do Fórum CPDA, e nas recomendações do Comitê de Sociologia da Capes, ao qual o Programa se filiou ainda nos anos 1980, ficou decidida a extinção das antigas Áreas de Concentração e a reorganização das Linhas de Pesquisa, adequando-as mais claramente ao campo das Ciências Sociais, com uma abordagem interdisciplinar mais bem delimitada neste âmbito. Nesta ocasião foi alterado o nome para Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, denominação aprovada pela Capes em 2006, mas mantendo a sigla (CPDA), já conhecida nacional e internacionalmente. A partir do ano de 2016, os diplomas de seus titulados passaram a ser emitidos como Mestre ou Doutor em Ciências Sociais pelo Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade.

Em 2018 e 2019, por meio de amplos processos internos de debate, particularmente no Fórum CPDA, foram novamente atualizadas as Linhas de Pesquisa e a estrutura curricular do Programa, considerando novos interesses e temas emergentes. As mudanças introduzidas buscaram qualificar a formação de mestres e doutores, com o reforço das discussões epistemológicas, teóricas e metodológicas, valorizando o diálogo interdisciplinar a partir do aprofundamento teórico dos principais campos disciplinares.

Centro de excelência em estudos rurais, agrários e do sistema agroalimentar brasileiro, o CPDA possui uma forte vocação latino-americana, o que resultou em sua escolha pela FAO/ONU, em 1987, para ser a sede regional do Mestrado em Planejamento e Políticas de Desenvolvimento Agrícola e Rural para América Latina e Caribe (Vitório Marrama). Este curso, que formou quatro turmas de mestres entre 1990 e 1999, foi desenvolvido em colaboração com professores da Itália e de outros países da União Europeia, por meio de programas de cooperação institucional. Nas duas últimas décadas, no que se refere ao intercâmbio nacional, o CPDA desenvolveu projetos de formação de doutores no âmbito do Programa Nacional de Cooperação Acadêmica (Procad/Capes), com a Universidade Federal de Lavras (UFLA, Minas Gerais), e do Programa de Doutorado Interinstitucional (Dinter/Capes), com a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC, Bahia – 2009 a 2013) e com o Instituto Federal Goiano (IF Goiano, Goiás – 2017 a 2021).

Desde sua origem, o CPDA vem participando regularmente de diversas atividades de intercâmbio de pesquisa, tanto nacionais quanto internacionais. Um exemplo disso é o Projeto de Intercâmbio de Pesquisa Social em Agricultura (Pipsa), que funcionou sob a coordenação do CPDA entre 1979 e 1984, com apoio da Fundação Ford. Trata-se de uma iniciativa pioneira de colocar pesquisadores de todo o Brasil, muitos ainda estudantes de mestrado ou doutorado, em contato para discutir suas pesquisas. Outro exemplo é o fato de o CPDA ter abrigado, entre 1993 e 2003, a Secretaria Executiva da Rede de Instituições Vinculadas à Capacitação em Economia e Políticas Agrícolas na América Latina e Caribe (Red Capa), uma rede de cooperação horizontal com mais de 60 universidades e centros de pesquisa desta região, da Europa e da América do Norte, incluindo programas de capacitação à distância, workshops, seminários, intercâmbios, edição da revista Políticas Agrícolas, publicação de livros e materiais didáticos e a organização de atividades de pesquisa, com financiamento do Projeto FAO de Cooperação Técnica Italiana e do Projeto ALFA/União Europeia.

Os esforços de internacionalização prosseguiram ao longo da trajetória do CPDA. O Programa participa, atualmente, de um conjunto diversificado de redes internacionais de pesquisa com atuação relevante em temas relacionados à sustentabilidade da agricultura e do sistema agroalimentar, soberania e segurança alimentar e nutricional, transformações na estrutura fundiária e usos da terra, mudanças climáticas e políticas públicas para a agricultura e o mundo rural, entre outros. Merecem destaque as contribuições do Programa na formulação, monitoramento e avaliação de políticas públicas e na construção de diferentes estudos e documentos orientadores de políticas elaborados por organismos multilaterais, particularmente no âmbito das agências que integram o sistema ONU.

O CPDA edita, desde 1993, a revista quadrimestral Estudos Sociedade e Agricultura, que vem ocupando um lugar importante entre as publicações científicas brasileiras dedicadas ao conhecimento de questões rurais, agrícolas e agrárias no âmbito das Ciências Sociais.

Edita, ainda, desde 2017, e em parceira com Redibec (Red Iberoamericana de Economía Ecológica), a Revibec – Revista Iberoamericana de Economía Ecológica, que dedica-se ao estudo da relação entre sociedade e natureza, particularmente no que se refere às ferramentas do metabolismo social, buscando contribuir para a consolidação da Economia Ecológica como abordagem científica.

Os discentes do CPDA editam, desde 2007, a revista IDeAS – Interfaces em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, um periódico científico de revisão por pares, acesso livre e publicação contínua de artigos em português, espanhol e inglês. Além da disseminação do conhecimento científico produzido em universidades e outras instituições de pesquisa e de fomentar o debate e a circulação de informações sobre o “mundo rural”, na interface entre desenvolvimento, agricultura e sociedade, a revista tem como objetivo garantir espaço para publicações de estudantes de pós-graduação nas áreas de Ciências Sociais, Humanas e Agrárias.

 

Para saber mais sobre o CPDA:

CESCO, Susana; MOREIRA; Roberto José; LIMA, Eli de Fátima Napoleão de. Interdisciplinaridade, entre o conceito e a prática um estudo de caso. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol.29, n.84, fev. 2014, p.57-71.
Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69092014000100004&lng=en&nrm=iso

MOREIRA, Roberto. Mobilizando agendas em torno da pesquisa social em agricultura. O Programa CPDA, A APIPSA e o PRONEX. In: LIMA, Eli Napoleão de e LEITE, Sérgio Pereira (Orgs.). CPDA 30 Anos. Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade. Rio de Janeiro: Mauad X; Seropédica: EDUR, 2010.
Disponível em: https://mauad.com.br/index.php?route=product/product&product_id=10355&search=cpda+30+anos

 

Apresentação do CPDA – 2021

 

 

 

Postado em 01/07/2011 - 00:59 - Atualizado em 09/09/2021 - 17:21

Últimas Notícias

Início do Semestre 2021-2

A Coordenação do CPDA informa que o semestre 2021-2 será de 20/9 a 18/12/2021. As aulas começam dia 20/9 e leia mais

16/09/2021 - 15:31

Publicada a homologação das inscrições para o Processo Seletivo 2022 do CPDA/UFRRJ

  Para visualizar a homologação das inscrições para o processo seletivo 2022 do CPDA/UFRRJ, basta clicar aqui. Todas as atualizações leia mais

16/09/2021 - 10:33

Número temático organizado pelas professoras Jacqueline Botelho (UFF) e Leonilde Servolo de Medeiros (CPDA/UFRRJ) na revista Trabalho Necessário

  A revista Trabalho Necessário terá um número temático organizado pelas professoras Jacqueline Botelho (NEPEQ/UFF) e Leonilde Servolo de Medeiros leia mais

08/09/2021 - 12:33

22/setembro (quarta, 10h): ASN Dialogues Series com participação da profa. Antonádia Borges (CPDA/UFRRJ)

  A ASN Dialogues Series, promovida pela Agrarian South, retornará no dia 22 de setembro com o lançamento do livro leia mais

08/09/2021 - 09:32

Grade de horários do semestre 2021.2 do CPDA/UFRRJ

O semestre letivo 2021.2 vai de 20 de setembro a 18 de dezembro de 2021. Os programas das disciplinas e os leia mais

01/09/2021 - 11:53

Lançamento do livro “MST: Como um Movimento de ‘Gaúchos’ se Enraizou no Nordeste”, escrito pela profa. Debora Franco Lerrer (CPDA/UFRRJ)

O livro “MST: Como um Movimento de ‘Gaúchos’ se Enraizou no Nordeste“, escrito pela profa. Debora Franco Lerrer (CPDA/UFRRJ) dedica-se leia mais

01/09/2021 - 10:55

mais notícias